Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 9 de outubro de 2012

BAIXADA SANTISTA, TABOÃO E EMBU. MORTOS, MORTOS, MORTOS. BANDIDOS MATAM POLICIAIS. São Paulo é um país com 42 milhões de habitantes e uma das melhores policias do Brasil e do mundo, que coloca bandidos na cadeia. Grupelhos armados não podem levar o caos à população. Muito menos em tempos de eleição.

IMAGEM REPRODUZIDA DA INTERNET/UOL
FOTO EDUARDO ANIZELLI/FOLHAPRESS


Leio que um médico ginecologista está sendo em acusado em São Paulo por abusar de pacientes que examinava. Todos sabemos que há denúncias contra advogados trambiqueiros que lesam clientes. Também desconfiamos que hajam jornalistas que enganam seus leitores com matérias de encomenda ou subsidiados – como alguns blogueiros oficialistas – por verbas públicas de publicidade governamental.

E o que tem isso com os casos que envolvem mortes de policiais militares, e de pessoas nas periferias, especialmente? Tudo e nada, ao mesmo tempo.

As entidades como o CRM, a OAB, ou os sindicatos de jornalistas tomam providências imediatas para apurar desvios éticos ou crimes? Creio que com muita morosidade, com muita lentidão, deixando transparecer um certo corporativismo rançoso.  

A Policia Militar, a cada vez que recebe denúncias pelo comportamento suspeito de um policial imediatamente o afasta das ruas. Nesse sentido, a instituição dá resposta rápida às queixas ou demandas dos cidadãos.

Claro que policiais, individualmente, podem fingir que não sabem o que um colega está fazendo, se for algo não recomendável. Certamente deve haver algum espírito de corpo. Mas os policiais, afinal, como todas as demais categorias, são humanos. Mas ninguém pode acusar a Policia Militar de São Paulo de fazer corpo mole na apuração dos fatos.

POLÍTICA

O que chama a minha atenção, salta aos olhos de quem estiver atento, é o seguinte: há uma correlação entre aumento de violência contra policiais, especialmente tentativas de homicídio, depredação de transporte coletivo e revoltas localizadas provocadas por incêndios ou desocupações de áreas invadidas, sempre em anos eleitorais. Juro que ainda farei um estudo acadêmico para procurar entender a quem interessaria uma situação social caótica de indignação e revolta.

No caso de São Paulo jamais seria capaz de pensar em partidos de oposição que gostariam de ocupar o governo do estado, visto que me parecem homens íntegros, sempre tão preocupados com o bom funcionamento da máquina pública. Creio que jamais fechariam os olhos para a ação de bandidos traficantes que incomodam a ordem pública.

Creio que tais partidos jamais pensariam em buscar um único voto apostando no caos. Tais políticos teriam que ser muito vis, muito vagabundos, muito desclassificados, para uma ação desse tipo. E teriam que ter um imenso desamor pela democracia e pela leis.

DIREITOS HUMANOS

Claro, respeitar as leis é, em tese, respeitar os direitos humanos. Mas isso depende das leis, depende de onde falamos, pois não? Em Cuba há leis, mas ali se respeitam os direitos humanos? Falo de liberdades amplas e direito à divergência. Ali não há nada disso. O mesmo se repete, por exemplo, com um pais como o Irã. Nada é permitido fora da baliza imposta pelos religiosos donos do poder. Isso não me parece razoável. Dispenso.

Fico imaginando se existiria um tipo de político canalha, aqui mesmo no Brasil, que  faça conchavos com bandidos para obter votos nas eleições e poder. Isto é, se existiria aquele tipo que, para entrar em territórios controlados por quadrilhas de traficantes paga o pedágio necessário para li entrar e fazer campanha eleitoral.

Fico imaginando o que leva pessoas razoáveis a colocarem-se contra o fato de uma Policia, como a PM de São Paulo, ser realmente eficiente. É uma das melhores do mundo. Se não é melhor é porque parece faltar mais investimento em equipamentos, armas e melhores salários.  

Mas é realmente um caso de sucesso como uma corporação com mais de cem mil homens, num estado com 42 milhões de habitantes, como um pais desenvolvido, consiga cumprir sua missão e ser São Paulo um dos estados com menor índice de violência do Brasil.

A Policia de São Paulo e a política de segurança pública do estado deveriam ser estudados em todas as academias e pelos interessados em Segurança Pública. Lugar de bandido é mesmo na cadeia. Não discuto aqui a qualidade da cadeia atual, nem se, por acaso os presos ficam amontoados e não aprendem  nada de útil. Essa é ouytra etapa da questão.

Mas a ordem pública tem que ser mantida. O respeito à leis é necessário, e nenhum pais que se preze pode tolerar que bandidos fortemente armados saiam por aí atirando em viaturas,  postos policiais e tirando vidas de soldados. Isso é simplesmente inadmissível.

MÉTODOS TERRORISTAS

Os terroristas que lutaram contra a ditadura mentem quando falam que lutavam pela democracia. Está mais que provado, pelos programas dos grupos que formavam, que sua real intenção era derrubar a ditadura militar para implantar uma outra, comunista.

Foram duramente combatidos pelos governos militares. Não discuto aqui os casos de tortura contra presos políticos. Mas digo com certeza, e tenho mais de 60 anos, que sei exatamente bem o que pretendiam os terroristas da luta armada.

Há boa bibliografia sobre o surgimento dos grupos de bandidos como o CV e o PCC, por exemplo. Os militares cometeram a besteira de deixar em um mesmo presídio terroristas e bandidos comuns. Criaram, sem querer, uma universidade de criminosos doutrinados em táticas de guerrilha e terror.

Seqüestrar, explodir, atirar a esmo, matar policiais, ameaçar a segurança de seus familiares, atacar de surpresa, provocar incêndios, queimar ônibus e descarrilar trens, são atividades que estão cuidadosamente elencadas como boas e necessárias para implementar o terror na bíblia terrorista que foi o Manual de Guerrilha Urbana de Carlos Marighela. Conheço muito bem, e detalhadamente, essa manual.

Então o que temos hoje? Gente na política que não gosta da democracia e ainda age de modo oblíquo para desgasta-la. Isso está em voga hoje na América Latina. Exemplos? Argentina, Venezuela, Equador, e caminhando rapidamente para isso a própria Colômbia que estava vencendo as Farc.

Gente na imprensa que tem um olhar fortemente esquerdista que não gosta do Estado de Direito e se alinha com quem pretende, um dia, desrespeitar as leis do Estado de Direito. Gente incapaz de chamar bandido de bandido; crime de crime. Gente relativista para quem os bandidos seriam, apenas, injustiçados sociais, tendo, portanto,  carta branca para fazer qualquer coisa.  Até matar policiais.

MAIS CASOS, PERTO DA ELEIÇÃO.

No último mês houve um incremento de mortos. Houve um incremento de ataques a policiais e unidades policiais. Também aumentou o numero de pessoas mortas, não policiais, supostamente de pessoas ligadas ao crime.

Se é uma briga de quadrilhas rivais disputando territórios, terá que ser descoberto. Se são policiais agindo como justiceiros, vingadores, à revelia da corporação que, claro, não poderia tolerar isso, não sei. Terá que ser descoberto. Se são policiais bandidos e corruptos disputando território com outros bandidos, também não sei. Terá que ser descoberto.

Uma coisa eu sei: as pessoas comuns, graças à ação de políticos extremamente demagogos guiados pela pressão de grupos de defensores de direitos humanos seletivos, isto é, de apoiadores e defensores de bandidos, nos levaram ao desarmamento efetivo da população civil.

O resultado é que bandidos, como não compram armas em lojas e não as registram, compram armas contrabandeadas ou roubadas e as usam impunemente, para matar civis e policiais.

O governo do Estado não pode aceitar ser pressionado por defensores de bandidos, não pode aceitar, também, que existam esquadrões da morte dentro da policia. É preciso agir com firmeza. Mas lugar de bandido e na cadeia.

Np caso da opção final entre a vida de um policial honesto e um bandido, minha opção é, certamente, pelo policial honesto. Nesse caso,  não há outro lado. O outro lado, como costuma dizer o Reinaldo Azevedo, é o crime.

Não é possível, tolerável ou desejável dar voz ao crime. Criminosos são apenas e simplesmente isso: criminosos. Não um partido político. E não deveriam ser, também, extensões de partidos políticos, muito menos em tempos de eleição.

Isso pode fazer aumentar o numero de mortes e isso, creio não interessaria a ninguém. Creio piamente que não exista político em São Paulo a favor do crime, do tráfico de drogas e de bandidos armados que matam policiais. Ou não? O que vocês acham?       



DA IMPRENSA:

SÃO PAULO - Ao menos nove pessoas foram mortas e duas ficaram feridas na noite de segunda-feira, 8, e na madrugada desta terça, 9, em uma mesma região entre Taboão da Serra e Embu das Artes, na Grande São Paulo. Entre os assassinados, está um policial militar atacado quando fazia, durante sua folga, a segurança em um posto de gasolina em torno das 22h de segunda-feira, 8.

A polícia não relaciona os crimes à morte do policial.

O soldado da PM Hélio Miguel Gomes de Barros, de 36 anos, foi morto a tiros em um posto de gasolina localizado na Estrada Kizaemon Takeuti, no Jardim Panorama, em Taboão da Serra.

À paisana, a vítima foi abordada por dois bandidos, que, sem dizer nada, dispararam várias vezes. O soldado foi encaminhado ao pronto-socorro da Antena, mas não resistiu e morreu. Os assassinos fugiram. Segundo a PM, a vítima era casada e tinha dois filhos.

Suposto tiroteio. Cerca de meia hora após o assassinato do policial, dois homens de moto foram mortos por policiais das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicleta (Rocam) a cerca de 2 km do ponto onde o PM foi morto, já em Embu das Artes. Segundo a polícia, houve troca de tiros entre os suspeitos e os agentes.

A Rocam teria recebido a denúncia que criminosos em uma moto estavam assaltando pedestres. Ao serem abordados, na versão da PM, eles fugiram, caíram da moto e começaram a atirar nos policiais, que reagiram. Nenhum policial ficou ferido. A PM afirma que a dupla estava com dois revólveres e com a bolsa de uma mulher assaltada minutos antes.

Tanto o assassinato do policial como o tiroteio ocorrido meia hora depois serão investigados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Outros homicídios. Na Rua Nicolau Gentile, a cerca de 800 metros do posto de combustível, o irmão de um policial militar foi atacado e morto quando estava em um grupo de três pessoas. Só ele teria sido atingido por homens que estavam de carro.

Outras três pessoas foram baleadas na Rua Tereza Montez Sanches, em Taboão, na região onde ocorreu os outros crimes. Homens de carro atiraram no grupo. Um homem morreu no local e outros dois, entre eles um adolescente de 16 anos, foram encaminhados ao hospital - o estado de saúde das vítimas não foi informado.

Ainda na mesma área, na Rua João Antônio da Fonseca, outros dois homens de moto foram assassinados. A polícia não informou quem os teria atacado.

Outras duas pessoas foram encontradas mortas, na madrugada desta terça-feira, 9, na Rua Sati Nakamura, a menos de dois quilômetros do posto, segundo a Guarda Civil de Taboão.

Pirituba. Um policial militar foi atacado, no final da noite de segunda-feira, 8, na região de Pirituba, zona oeste da capital paulista, quando chegava em casa. Dois homens de moto atiraram contra o PM, que não foi atingido. A dupla fugiu e não foi localizada ainda. O caso foi registrado no 33º Distrito Policial, de Pirituba.

DO ESTADÃO


Leia esta carta e espalhe.

Ajude o seu estado a calar a boca dos agourentos do caos e dos falsos direitos humanos. Fique atento a tudo o que acontecer neste mês de eleição.


Carta ao Povo de São Paulo e do Brasil

CORONEL PM ROBERVAL FERREIRA FRANÇA
COMANDANTE GERAL DA PM DO ESTADO DE SÃO PAULO

A Polícia Militar defende e protege 42 milhões de pessoas que residem no estado de São Paulo. Para quem pergunta se a população confia na Polícia, os números falam por si: no último ano, atendemos a mais de 43 milhões de chamados de pessoas pedindo ajuda, socorro e proteção; realizamos 35 milhões de intervenções policiais, 12 milhões de abordagens, 310 mil resgates e remoções de feridos e 128 mil prisões em flagrante (89 mil adultos e 39 mil “adolescentes infratores”); apreendemos 70 toneladas de drogas e mais de 12 mil armas ilegais; recuperamos 60 mil veículos roubados e furtados. De janeiro a junho, a população carcerária do estado cresceu de 180 mil para 190 mil presos, o que representa 40% de todos os presos do Brasil.

O estado de São Paulo ocupa o 25º lugar no Mapa da Violência 2012, publicado em maio pelo Instituto Sangari e registra hoje uma taxa de 10 homicídios/100 mil habitantes, uma das mais baixas do país. Só para ilustrar, o Rio de Janeiro registra a taxa de 30 homicídios/100 mil habitantes, e Alagoas chegou à impressionante taxa de 73 homicídios/100 mil habitantes. Tudo isso parece incomodar muito algumas pessoas, que tentam, por várias medidas, atacar e enfraquecer uma das mais bem preparadas e ativas polícias do nosso país. Essas pessoas ignoram muitos fatos e verdades. Neste ano, tivemos mais de 50 policiais militares assassinados covardemente e temos hoje mais de 5 mil policiais militares que ficaram inválidos na luta contra o crime.

Mesmo assim, não iremos nos acovardar. A Polícia Militar de São Paulo continuará sendo a força e a proteção das pessoas de bem que vivem em nosso Estado. Como policial, tenho orgulho de fazer parte dessa grande instituição e, como comandante, tenho orgulho dos 100 mil profissionais que trabalham comigo na luta contra o crime.

Peço a todas a pessoas de bem que acreditam em nosso trabalho que divulguem essa carta.

Muito obrigado!!!

Roberval Ferreira França
Coronel PM
Comandante Geral


FOTO DO COMANDANTE DA PM:

FOTO DO MORTO NO PORTÃO:
Eduardo Anizelli/Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário